Inteligência Emocional: um fator chave do sucesso nas empresas

Inteligência Emocional

Atualmente, é notório que o mundo e o mercado de trabalho tenha ficado mais competitivo e individualista, com relações sociais mais deterioradas e com as emoções falando sempre mais alto do que a razão, principalmente nas empresas.


Além disso, é importante ressaltar que esse descontrole das emoções pode destruir vidas e acabar com carreiras profissionais, sendo de suma importância aprender a dominar habilidades humanas essenciais para lidar com nossas próprias emoções.


O que é Inteligência Emocional?

Com tudo isso acontecendo, as empresas passaram a investir cada vez mais em seus colaboradores. As organizações estão reconhecendo a importância da psicologia e inteligência emocional e aplicando seus conhecimentos para melhores resultados.


Uma definição famosa vem do autor Daniel Goleman, em seu livro “Inteligência Emocional”, de 1995, onde o psicólogo define o conceito como o “conjunto de habilidades que tornam capazes de identificar os nossos próprios sentimentos e os dos outros, de nos motivarmos e de gerir bem as emoções dentro de nós e dos nossos relacionamentos”.


Por isso, desenvolver essas habilidades é importante em qualquer âmbito da vida de uma pessoa. No trabalho, onde as pessoas passam grande parte do tempo, não é diferente, pelo contrário, é mais necessário ainda; é preciso saber lidar, de forma positiva, com os prazos, pressões e conflitos, a fim de manter o ambiente harmonioso e saudável.


Conflitos Internos Comuns

Um fato que não podemos negar, é que os conflitos mais comuns dentro das organizações dizem respeito a problemas de relacionamento, onde a inteligência emocional impacta diretamente na resolução pacífica e eficaz desses conflitos.


Além disso, é possível listar alguns conflitos interpessoais mais frequentes no dia a dia das empresas, tais como: casos de insubordinação, falta de cooperação nas equipes, gestores agressivos e desentendimentos entre funcionários – tudo causado pela falta de inteligência emocional.


Para resolver esse tipo de problema em uma instituição, o melhor a se fazer é agir com empatia, isto é, saber se colocar no lugar dos outros. Isso faz com que o rumo de uma situação que poderia se tornar conflituosa se torne harmoniosa, pelo simples fato de entender o outro.


Portanto, é preciso incentivar o diálogo e a comunicação harmoniosa dentro das empresas, ouvindo o que cada um dos colaboradores têm a dizer e resolvendo possíveis conflitos, sempre com calma e soluções justas. Dessa forma, promovem melhorias no clima organizacional, o que aumenta a satisfação e a produtividade dos funcionários.


Como Desenvolver Inteligência Emocional na Equipe

Existem muitos métodos que possibilitam o desenvolvimento da inteligência emocional em uma equipe de trabalho. Vejamos alguns deles a seguir:


1) Treinamentos

Existem, no mercado, diversos treinamentos especializados em inteligência emocional para profissionais. Oferecer esses cursos aos colaboradores pode ser um ótimo caminho para começar a desenvolver atitudes positivas dentro do ambiente de trabalho.


A mudança interna sempre afeta as mudanças externas. Portanto, treinamento de inteligência emocional nas empresas pode influenciar diretamente nas vendas.


2) Team building

Vale ressaltar que essa prática permite a melhora na interação social dos grupos de colaboradores. Além do mais, ela é recomendada para aprimorar a forma de realização das tarefas, além de auxiliar nas competências, ao nível interpessoal, e na resolução de conflitos.


O team building é utilizado na resolução de problemas de um grupo ou na melhoria do funcionamento de equipes. Geralmente, seus benefícios são superiores ao seu custo.


Basicamente, são promovidas atividades lúdicas, em clima de descontração, para estreitar vínculos e fazer com que os colaboradores conheçam os pontos fortes e fracos de seus companheiros, e possam ajudá-los a evoluir, o que favorece o coletivo.


3) Feedbacks regulares

Uma política de feedbacks, clara e bem estruturada, é característica de uma empresa com inteligência emocional. Críticas construtivas são fundamentais para que os funcionários se sintam valorizados pela empresa.


Ao ouvir, de uma maneira respeitosa, da própria liderança, quais foram seus acertos e erros em determinados períodos de trabalho, o funcionário tem a chance de trabalhar seu autoconhecimento, autocrítica e automotivação. Assim, buscando formas de corrigir seus erros e poder trabalhar de forma mais eficaz.