O que você sabe sobre fibromialgia?

Google Images

Quando uma pessoa apresenta multiplas manifestações de dores pelo corpo, sendo desencadeadas ao mínimo toque na pele desta, muitos tendem a dizer que nada mais é que uma frescura, “manha”, palhaçada, mimimi, etc e acabam descredibilizando o relato desta pessoa. Porém, você sabia que isso pode se tratar de fibromialgia?


Primeiramente, vamos deixar bem claro que nem todo mundo que manifesta várias dores no corpo, mesmo na ausência de estímulos que não são dolorosos sofre de fibromialgia, ok! Há várias outras condições que podem ser a origem destas dores. Mas neste artigo, falaremos apenas sobre a fibromialgia, uma sindrome que desafia compreensão humana.


A fibromialgia é uma síndrome (conjunto de sinais e sintomas) e é caracterizada pela ocorrência de dor crônica musculoesquelética generalizada, com presença de pontos dolorosos específicos e ausência de processos inflamatórios articulares ou musculares (PROVENZA, 2004), os chamados (tender points – TPs),caracterizados por: sensibilidade local e múltiplos, em locais específicos e simétricos, principalmente nas inserções dos músculos-tendinosa (AFONSO et al., 2009).


 A Fibromialgia pode ser classificada como primária e secundária: Primária quando acontece isoladamente e a secundária quando acontece como provável consequência de doença, tais como Lúpus Eritematoso Sistêmico, em que quase todos os pacientes têm artralgias e mialgias, o que se confunde com diagnóstico de possível fibromialgia secundária. O diagnóstico de uma fibromialgia secundária, seja ela por atrite reumatóide ou por Lúpus, é importante entender que pode ocorrer um aumento desnecessário de drogas atuantes sobre a sindrome, as quais são potencialmente tóxicas para o paciente e no pior prognóstico deixa de apresentar efeito sobre os sintomas álgicos da fibromialgia (SILVA, et al., 2012).


A leitura do presente artigo não tem nenhuma intenção de levar a todos que sentem dor definirem um diagnóstico de fibromialgia e excluir outras hipóteses para causa de sua dor. O diagnóstico desta sindrome pode ser alcançado por meio de avaliação clínica. Como já falado, a fibromialgia tem manifestação de dor bem peculiar, em pontos dolorosos bem específicos, chamados de tender points.


Em tender points, quando apalpado o local de dor há como resultado uma dor irradiada no trajeto do músculo acometido no sentido ponto-periferia, cuja dor relatada é manifestada com uma pressão digital de 4kg. A dor manifestada na Fibromialgia é profunda e disseminada, em que esta dor difusa é considerada essencial para o diagnóstico. Contudo, os critérios do Colégio Americano de Reumatologia de 2010 (ACR 2010) já incluem pacientes sem dor difusa E no que cerne distribuição topográfica, o TP pode ser manifestado em vários pontos (HEYMANN et al., 2017).


Os pacientes podem apresentar melhoras dos sintomas fibromiálgicos com tratamento específico das condições de base, porém deve ser usado com cautela e prescrição médica, para minimizar a probabilidade de desenvolvimento de dependência química.


Existem diversos tipos de tratamentos para a fibromialgia, tanto medicamentosos com intuito de diminuir dor, sintomas depressivos, fadiga e melhorar a qualidade do sono, como através de terapias alternativas e da Fisioterapia (MACFARLANE et al., 2017). O tratamento fisioterápico de uma forma geral auxilia no alívio dos sintomas mais comuns da doença, sendo o tratamento através da terapia aquática um destaque devido aos resultados obtidos em alguns estudos, que observaram que os pacientes tratados na piscina com alívio geral dos sintomas, melhora na dor por um tempo maior após o tratamento quando comparados aos pacientes tratados com fisioterapia convencional (ACOSTA-GALLEGO et al., 2018).


Caso você conheça alguém com uma condição dolorosa semelhante a descrita acima, ou você seja esta pessoa, procure ou auxilie a pessoa a procurar um profissional médico com a especialidade em reumatologia para auxiliar com as terapias medicamentosas para tal sindrome. Outros profissionais também devem ser associados, como o fisioterapeuta, para intervir nas complicações cinéticos-funcionais; e os psicológos, para intervir nas complicações de saúde mental. Uma vez compreendido, vamos ajudar aqueles que sofrem de dores crônicas com esclarecimentos, para fornecer melhor qualidade de vida.


Elaborado por Viviane Bastos de Oliveira

Doutora em Engenharia Biomédica

Fisioterapeuta do Trabalho